Mitos e verdades sobre o gato preto e o Halloween

Comemorado no dia 31 de outubro, o Halloween, entre outros símbolos, sempre foi associado aos gatos pretos, já que esses bichanos são tradicionalmente ligados às bruxas. 

Mas qual será a origem dessa história? Que cuidados os tutores devem ter com seus felinos, principalmente, nesta época do ano? Quais são os mitos e verdades da relação entre os gatos pretos e o Dia das Bruxas?

É o que vamos buscar responder neste texto. Confira abaixo!

Origem da ligação entre os gatos pretos e o Halloween

Na Idade Média, os gatos pretos representavam mau agouro e azar. Nesse contexto, as pessoas relacionavam sua cor às trevas já que os bichanos têm hábitos noturnos. Inclusive a Igreja Católica perseguiu o animal nos tempos da Inquisição.

A associação com o Halloween ocorria porque, antigamente, mulheres mais velhas e sozinhas tinham o gato preto como companheiro. Isso, sem dúvida, mexia com o imaginário de muita gente que perseguia essas pessoas por serem possíveis simpatizantes à bruxaria.

Com o tempo, muitos desenhos animados e filmes incentivaram a ligação infundada que teve origem no tempo medieval. Histórias como essas também foram passadas de geração em geração. Por isso, o mito segue presente nos dias de hoje. Além disso, muitos gatos pretos ainda são cruelmente usados em rituais de magia atualmente.

Mitos e verdades

Gato preto dá azar: MITO! A crença é fruto da cultura da Idade Média em que pessoas de religiões pagãs e cuidadoras de gatos pretos eram perseguidas.

Gato preto é do demônio: MITO! Todos os animais têm a mesma origem, portanto os gatos pretos também merecem os mesmos cuidados e afeto que os demais. O que aconteceu foi que a superstição criou uma imagem negativa em cima desses bichinhos inocentes.

Gatos pretos são mais resistentes: VERDADE! Gatos pretos são mais resistentes a doenças do que gatos de outras cores. Além de possuírem genes mais resistentes, eles são tão dóceis e amáveis quanto todos os outros. Por isso, é tão importante reverter crenças equivocadas que tornam os gatos mais vulneráveis a abandonos e maus tratos.

Gatos pretos causam epidemias: MITO! Outra superstição que surgiu na Idade Média, apontou os gatos pretos como causadores de todos os males da época. A Peste Negra, por exemplo, foi uma epidemia que aconteceu entre os anos de 1347 a 1353, causada por uma bactéria proveniente dos ratos.

Gatos pretos precisam de mais cuidados: VERDADE! Em virtude do que trazemos neste texto, é necessário que os tutores de bichanos dessa pelagem adotem medidas de proteção mais contundentes para evitar maus tratos. No Halloween, por exemplo, há grupos envolvidos em ocultismo que utilizam a data para fazer rituais com gatos pretos. Diante disso, não somente nesta época do ano, mas sempre, é importante deixar os gatos pretos em lugares seguros. As casas e apartamentos devem ser telados para evitar que eles escapem e sejam vítimas de furto e de atropelamento.

Fonte: Petpillow

O lugar certo para deixar seu pet neste feriadão de Carnaval

Com o feriadão de Carnaval chegando podem surgir as seguintes perguntas para quem planeja viajar: “Como vou fazer o meu cachorro/gato? Levo junto ou deixo em casa? Quem vai cuidar?” Sabemos que há muitos espaços de hospedagem pet friendly, mas os felinos não costumam gostar de viagens, já os cães costumam se adaptar melhor a novos ambientes.

Mas se você quer evitar possíveis transtornos e garantir que o seu pet seja bem cuidado, nós temos a melhor opção: o serviço de hotelaria da Clínica Veterinária Espaço Animal. Por aqui, seu bichinho é monitorado por veterinários 24 horas por dia. Assim, seu estado geral é avaliado durante todo o período em que estiver conosco. Por precaução, exigimos que o cachorro/gato esteja saudável e com as vacinas, antipulgas e carrapaticida em dia.

Dispomos de uma área específica para hospedagem de animais. A interna é climatizada com leitos para pequeno e grande porte que são higienizados constantemente. Se houver necessidade, há leitos para felinos separados dos cães. Também há um espaço externo isolado para banhos de sol e passeios. Cada hóspede é colocado neste local uma vez por turno.

Para obter mais informações, entre em contato pelo telefone (51) 3473 5650 ou (51) 99744 2355 (WhatsApp).

Saiba mais sobre o nosso pacote de fidelização

Que tal realizar procedimentos que vão prevenir que uma série de doenças acometam o seu pet? Essa é a proposta do pacote de fidelização da Clínica Veterinária Espaço Animal. Quem adquire o esquema completo vacinal para cães (clique aqui para saber o que contempla esse esquema) ganha 20% de desconto no pagamento. Realizado o protocolo de vacinas, o tutor que desejar realizar a castração do seu bichinho também terá 20% de abatimento no valor da castração. 

No caso dos gatos, a pessoa que fizer a quíntupla felina (clique aqui para conhecer essa vacina) também terá 20% de desconto no teste FIV e FeLV. Assim como com os cachorros, com todas as imunizações feitas em nossa clínica, há redução de 20% no preço da castração.

Para o médico veterinário, Hermes Raupp, a realização de toda a assistência de saúde do pet no mesmo local facilita se houver alguma doença mais grave. “Independentemente que não seja o mesmo veterinário que venha a atender, a clínica tem todo o cadastro do que o pet fez desde filhote. Todas as informações pertinentes à vida dele estão reunidas. Dessa forma, é possível fazer um acompanhamento mais adequado”, ressalta Hermes que também é proprietário da Clínica Espaço Animal.

Pagamento

A única exigência para compra do pacote de fidelização é que o pagamento seja antecipado. O valor pode ser pago em cartão de crédito ou débito.

Saiba quais vacinas o seu pet deve tomar anualmente

Em tempos em que o assunto é a importância das vacinas para os humanos, principalmente no combate à pandemia da Covid-19, vale lembrar que os imunizantes são fundamentais também para proteger cães e gatos de diversas doenças virais e bacterianas.

O protocolo vacinal varia de acordo com a espécie. Ou seja, cachorros tomam vacinas diferentes dos felinos. Além disso, a idade do pet influencia na quantidade de doses. Veja abaixo:

Cães

Filhotes: devem ser aplicadas nos filhotes entre os 45 e 60 dias de vida. Há dois protocolos disponíveis: o básico e o completo. O mais simples contempla a aplicação de três doses do imunizante polivalente que previne contra as seguintes doenças: cinomose; hepatite infecciosa canina; adenovirose tipo 2; parainfluenza canina; parvovirose canina; coronavírus canino; leptospirose, além da antirrábica que deve ser feita quando o pet tiver 4 ou 5 meses. A imunização mais abrangente engloba as vacinas citadas acima mais duas doses contra a giardíase, doença que ataca o sistema digestivo, e outras duas doses contra a traqueobronquite infecciosa canina, conhecida como a tosse dos cães.

Adultos: devem tomar uma dose de cada uma dessas vacinas anualmente. Também há os mesmos dois protocolos disponíveis.

Gatos

Filhotes: a partir dos dois meses de idade, o animal deve tomar pelo menos a quádrupla felina que protege contra as seguintes doenças: a panleucopenia, doença grave que se dissemina rapidamente pela corrente sanguínea sendo letal na maioria dos casos; a rinotraqueíte e calicivirose, que afetam o sistema respiratório; a clamidiose, doença que causa danos oftalmológicos e no sistema reprodutivo. O ideal é que seja aplicada a vacina conhecida como quíntupla que, além de prevenir as enfermidades citadas acima, também atua contra a felv, a leucemia felina que causa linfomas. Também há a antirrábica que deve ser aplicada a partir dos 120 dias de vida.

Adultos: devem tomar uma dose de cada uma dessas vacinas anualmente.

Orientações

Caso você adote um animal e desconheça o histórico de imunização dele, o médico veterinário e proprietário da Clínica Veterinária Espaço Animal, Hermes Raupp, recomenda realizar as vacinas como se o bicho fosse filhote. Outra indicação é guardar bem a carteira de vacinação do seu pet para saber a data de realização da vacina no ano seguinte. Segundo ele, é fundamental que os tutores mantenham o esquema vacinal dos seus pets em dia. “É um investimento que protege de doenças graves que podem ser fatais. Além disso, quando o bicho contrai alguma enfermidade o valor que se gasta com o tratamento sempre é maior do que o custo dos imunizantes”, explica.

Tanto em cachorros quanto em gatos, a imunização só ocorre 21 dias após a última aplicação da vacina. Em ambas espécies, o tutor deve observar se o animal está saudável para receber as doses. É indicado que o pet não esteja apresentando sintomas como tosse ou diarreia e esteja comendo, urinando e defecando normalmente. Além disso, não pode estar utilizando antibióticos ou anti-inflamatórios, pois o uso de medicamentos afeta a resposta imunológica das vacinas.

Todas as vacinas citadas aqui são aplicadas em nossa clínica. Mais informações podem ser obtidas por meio do WhatApp: (51) 99744 2355.

Crédito da imagem: Portal Vets